top of page
  • Foto do escritorNatalia Miralles

Setembro amarelo: uma missão que não deve acabar

No artigo desta semana, Natalia Miralles, Diretora de Marketing, ao final do mês da campanha de prevenção ao suicídio, fala sobre o Setembro Amarelo, nossos desafios como sociedade e sobre como procuramos fazer nossa parte através da criação de um ambiente de trabalho centrado verdadeiramente nas pessoas. Boa leitura!



--------------------------------



É chegado o fim de Setembro, mas a prevenção ao suicídio – e a luz jogada sobre a saúde mental – deve continuar. A campanha - Setembro Amarelo - foi iniciada no Brasil em 2015, e visa conscientizar as pessoas sobre o suicídio, bem como evitar o seu acontecimento. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 32 pessoas se suicidam por dia no Brasil, ou seja, o suicídio mata mais brasileiros do que doenças como a AIDS e o câncer.


Sabe-se que uma das maiores causas do suicídio são as doenças mentais. O mundo de hoje, com seus mais diversos desafios - como desigualdade social, pandemia de Covid-19, guerra e crise climática – coloca em ameaça a saúde global. Nossa população sofre e mentalmente o impacto é ainda maior.


Resolver problemas de escala global é um desafio de todos enquanto comunidade, porém, podemos olhar para dentro e investigar formas de apoiar as pessoas que estão próximas. Ao fazer isso, iniciamos um movimento que pode ser o primeiro passo para uma verdadeira transformação.


Aqui na BigDataCorp, entendemos a importância da saúde mental e, enquanto não podemos resolver os problemas do mundo, podemos olhar para o ambiente de trabalho. Fomentamos o bem-estar mental do nosso time de várias formas partindo de uma cultura verdadeiramente centrada nas pessoas. Oferecemos diversas ferramentas e benefícios visando a melhoria da qualidade de vida das nossas pessoas colaboradoras, como, por exemplo, o modelo remote first de trabalho, flexibilidade, e foco na entrega (não nas horas trabalhadas).


Além disso, sempre fortalecemos os valores de transparência, ética, empatia e segurança, que apoiam a cultura da empresa melhorando as relações internas e externas. Por fim, usamos o Safespace como nosso canal de escuta, evitando situações que possam constranger e/ou colocar em risco nosso time.


Entendemos que esses podem parecer pequenos passos frente aos grandes desafios da atualidade, mas acreditamos que podemos – e devemos – desenhar o mundo que gostaríamos para todos. Nossa esperança é que cada passo dado reflita, de alguma forma, em cada pessoa impactada e ela seja igualmente um motor de mudança para um mundo mais equilibrado e bom para todos. Para saber mais sobre a nossa cultura, explore nosso portal de carreiras.



>> Quer fazer parte do time?


Confira as vagas disponíveis, aprenda sobre o processo seletivo e junte-se à nós!

21 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page